Quando a tua tiróide se vira contra ti

japao, kyoto foodstreet, hipotiroidismo
Foodstreet em Kyoto. Uma espetada enrolada em omelete.

A tiróide é uma glândula que se localiza na parte da frente do pescoço e as hormonas que produz controlam o metabolismo, ou seja, a forma como as células do nosso corpo utilizam a energia.

O funcionamento insuficiente desta glândula chama-se hipotiroidismo e caracteriza-se pela desaceleração do metabolismo, menor produção de energia, diminuição da temperatura corporal e alteração do ritmo cardíaco.

Descobri que tinha hipotiroidismo quando tinha 15 anos. Comecei a ter desmaios com alguma frequência, e desconfiou-se que podiam ser hipoglicemias, depois de quase desmaiar umas três ou quatro vezes após refeições, decidimos fazer análises.

Os níveis da TSH vieram muito altos, e assim fui encaminhada para a endocrinologista. Fiz uma série de outras análises e exames e fui diagnosticada.

Este tipo de hipotiroidismo designa-se por hipotiroidismo subclínico, e a reposição hormonal quando os valores da TSH não são extremamente altos não é consensual, sendo que a indicação de terapêutica depende dos sintomas do doente.

No meu caso comecei logo a medicação, cujos níveis fui ajustando, com alguma frequência nos primeiros anos e depois de forma mais espaçada.

Os “sintomas” que atribuo ao hipotiroidismo são: intolerância ao frio, ter necessidade de dormir muitas horas, alguma queda de cabelo que às vezes se acentua imenso e o cabelo seco e quebradiço. Tenho também a pulsação muito alta, que pode ou não ser causada pelo hipotiroidismo, sendo que não é problemático e não me afecta em 95% dos dias.

Felizmente não tenho nódulos na tiróide, tenho apenas uma microtiróide que não serve para nada, e a única verdadeira limitação que noto é o facto de ter de tomar a medicação todos os dias, meia hora antes do pequeno-almoço. Há quem diga que tenho mais sintomas – como o mau feitio – mas nunca saberemos… 😛

Os sintomas mais frequentes do hipotiroidismo incluem:

Alterações do ciclo menstrual, depressão, perda de cabelo e cabelo seco, pele seca, exaustão, sensibilidade ao frio, ritmo cardíaco lento, inchaço da tiróide, aumento de peso inexplicável, dificuldade em perder peso, sídrome do túnel cárpico, e uma série de outras coisas que vão fazer toda a gente pensar: tenho hipotiroidismo.

A tiróide regula o metabolismo, afectando todas as funções corporais e por isso é muito difícil saber se temos um sintoma do hipotiroidismo, ou se somos só friorentos por exemplo.

https://catanacomics.com/
https://catanacomics.com/

Uma das causas do hipotiroidismo é a falta de iodo na dieta, não acredito que seja o caso da maioria dos portugueses, porque estamos muito junto ao mar e comemos com muita frequência alimentos ricos em iodo como peixe e marisco.

De qualquer forma, há alimentos que podem compensar um bocadinho esta falta (nunca substituindo a terapêutica indicada pelos médicos), como é o caso das algas, dos produtos lácteos e do sal iodado – à venda na maioria dos supermercados é uma boa fonte de iodo.

Está mesmo a ser estudada a suplementação universal do sal com iodo, por isso da próxima vez que precisarem de comprar sal grosso optem por um suplementado, principalmente se estiverem grávidas! Podem ver mais aqui.

Existem também problemas quando se consome iodo a mais, e por isso é importante dosear estes alimentos. Podem ver mais aqui.

Frequentemente, quando não se consegue despistar o hipotiroidismo a tempo, podem-se ganhar 10/20kg em poucos meses. É muito difícil perder este peso, por mais dietas que se faça! Por isso se desconfiam que podem ter algum problema de tiróide, falem com o vosso médico, vale mesmo mais prevenir.

Agora a verdadeira questão: porque vos escrevo sobre hipotiroidismo?

No final de 2016 tive um grande aumento de peso. Desde os 16 anos que pesava 49/50kg, sem alterações, por mais asneiras que fizesse. No final de 2016 fomos de férias ao Japão, mas ao contrário do que possam pensar comemos bastante mal a nível nutricional. E se o meu peso já vinha a aumentar gradualmente uns meses antes, depois de voltar estava com mais 7kg.

Tive de tomar medidas drásticas e alterar profundamente a minha alimentação e as minhas receitas!

Mas essa é uma história para outro post.

Deixo-vos alguma bibliografia, e se tiverem perguntas deixem aqui em baixo!

Até já!

Hypothyroidism (Underactive Thyroid)

Abordagem da disfunção tiroideia subclínica

Programa Harvard Medical School Portugal – Hipotiroidismo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s